Diabetes custa 18 milhões de euros

[wc_row][wc_column size=”one-half” position=”first”]

O Serviço Nacional de Saúde gastam por ano 18 milhões de euros com o consumo de antidiabéticos orais e insulinas. Esta despesa representa oito por cento dos custos com a venda dos medicamentos nas farmácias, revela o relatório ‘Diabetes: Factos e Números’, do Observatório Nacional da Diabetes, ontem apresentado em Lisboa.
Segundo o relatório, o crescimento do custo dos medicamentos da diabetes para o Serviço Nacional de Saúde (SNS) assume uma “especial relevância (mais 263%) face ao crescimento efetivo do consumo”, quantificado em número de embalagens vendidas (mais 66%).
Quanto ao custo médio das embalagens de medicamentos, mais do que duplicou o seu valor nos últimos dez anos.
Isto significa que, para o Estado, o tratamento da diabetes custa 1.500 milhões de euros, o que corresponde a um por cento do Produto Interno Bruto (PIB) e a dez por cento das despesas em saúde.[/wc_column][wc_column size=”one-half” position=”last”]04-11-2014_22_44_31_p18_InfoDiabetes
[/wc_column][/wc_row]As tiras-teste para os diabéticos medirem os níveis de glicémia vão ser mais baratas a partirdo próximo domingo, data em que entra em vigor uma portaria publicada ontem em Diário da República e que dá conta da redução do preço para os doentes. A descida de 15% do preço das tiras-teste, seringas, agulhas e lancetas para diabéticos tinha sido anunciada pelo Governo em 2013, mas a medida foi suspensa por decisão do Tribunal Central Administrativo do Sul.