Cuidados a ter com o pé diabético

pes_c97d4Uma complicação frequente e grave da diabetes é o chamado pé diabético que, quando associado a úlcera, pode levar à amputação. O pé diabético é, por isso, motivo de preocupação dos especialistas em Diabetologia. A Dr.ª Ana Luísa Costa, diabetologista, médica de Medicina Geral e Familiar e coordenadora da Consulta do Pé Diabético na Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP), explica que esta preocupação é baseada em dois fatores.

“Por um lado, a neuropatia periférica diabética com atingimento dos nervos periféricos que condicionam diminuição ou mesmo ausência da sensibilidade, assim como deformação e desidratação da pele, sendo esta uma entidade subclínica que muitas das vezes não é diagnosticada. Por outro, a doença vascular periférica dos membros inferiores, como fator de prognóstico das lesões do pé”, indica. A prevenção e o tratamento atempado são medidas necessárias no quotidiano.

Na opinião da diabetologista da APDP, é igualmente importante que as pessoas sejam acompanhadas e aconselhadas por profissionais, para estarem sensibilizadas para a questão e assim prevenirem o aparecimento ou o agravamento de complicações associadas à diabetes.

Cuidados sugeridos pela Dr.ª Ana Luísa Costa

> Observar os pés todos os dias, de preferência ao final do dia, num local com muita luminosidade;

>Algumas pessoas com diabetes sofrem de retinopatia, pelo que podem pedir a alguém que faça esta observação diária dos seus pés;

> Durante a observação dos pés, procurar sinais de alarme: manchas, gretas ou alteração da temperatura;

> Lavar todos os dias os pés, sendo importante verificar a temperatura, de preferência com o cotovelo, pois há falta de sensibilidades nas zonas periféricas como mãos e pés. A água deve estar fria ou morna;

> Utilizar sabonete hidratante na lavagem dos pés;

> Não deixar os pés de molho;

> Depois da lavagem, secar muito bem com uma toalha de algodão, especialmente entre os dedos;

> Colocar um creme hidratante no pé, exceto entre os dedos;

> Caso haja grande risco de ter úlceras ou caso já tenha, o corte das unhas deve ser feito com uma lima de cartão e não com a tesoura;

> As calosidades devem ser retiradas com uma lixa de cartão;

> As meias devem ser de algodão, no verão, e de lã no inverno;

> Há ainda que ter especial atenção ao tipo de calçado. Deve ser confortável, idealmente de biqueira larga e alta, sem costuras no interior, construído em pele com atacadores e velcro, saltos de 2 a 4 cm e sola de borracha.

Artigo original publicado na revista do 8.º Fórum Nacional da Diabetes